Pular para o conteúdo principal

Postagens

Em destaque

O Diário de Anne Frank, Resenha

Espero poder contar tudo a você, como nunca pude contar a ninguém, e espero que você seja uma grande fonte de conforto e ajuda. Anne Frank. 12 de Junho de 1942. 
E é com essa anotação que o diário se inicia, com uma confissão de várias; com essa conexão com o leitor que Anne sonhou um dia que teria ao escrever esse diário...
Anne Frank nasceu na Alemanha em 1929. Aos 9 anos de idade se mudou com a família para a Holanda fugindo dos nazistas. Em 1942 ela, sua família e outras 5 pessoas se mudam para o Anexo Secreto que ficava no escritório do seu pai. Em 1944 eles são delatados e, no mesmo ano, Anne morre de tifo no campo de concentração Bergen-Belsen. 
Depois de 70 anos da sua publicação, o diário continua sendo um documento importante para a história do sofrimento vivido pelos judeus durante a Segunda Guerra Mundial, um testemunho que comove milhares de pessoas que o leem.
Kitt, como foi apelidado o diário, foi escrito no período em que Anne passou escondida. Ele sofreu diferentes a…
Postagens recentes

Algodão doce

Dissolve-se no turbilhão de emoções É açúcar, e apenas açúcar Éramos a energia das crianças em parques de diversões Nosso corações são montanhas russas                                                 [ E nossos sentimentos, confusões                                                  De várias pessoas em uma                                                  É a inocência de ser, mais um dia, feliz
Até ontem adolescentes e suas omissões Hoje adultos com suas razões Para não permanecerem constantes Em suas próprias vidas
Não se mastiga  Deixa dissolver-se, se extinguir A si mesmo vai destruir
Seu corpo vai derreter. Sim, ele é feito de açucar E as lágrimas me fazem sofrer.                                            [Não há nada que possa ser feito                                             O tempo passou, e o doce que havia em mim se acabou. - H.B.


Devaneios e anseios

I - Refração Ao mar não pertence o azul do céu, e a este também não o pertence. O azul pertence, e unicamente ao sol. Digamos que não passamos de superficialidade como o espelho mar: reflete o céu que também é só uma ilusão criada pela união do sol e dos gases. Ou seja, assim como o impetuoso mar, vemos o que queremos em cada pessoa. Somos mais do que o mar ou o céu, somos um sol, afinal "do pó viemos e para o pó voltaremos".

Ocorreu-me um porém: podemos ser belos como o sol ou o peso que esta frase carrega: pó, sujeira, restos de pele morta. Do pó das estrelas para o nada... Pó de estrelas. Desculpa, mas são meras bobagens que tornam o homem um ser estupendo, tão estupendo que mata sua própria espécie (ou outro ser feito de pó de estrelas, alguém igualmente grandioso como se faz parecer mas que se matam. Onde está a grandiosidade nisso?) em nome de Deus (?). Prefiro acreditar na frase sagrada "do pó viemos e para o pó voltaremos" com a conotação de sujeira para o p…

Constelações

Desenhos estelares que descrevem Nossas vidas mudanas em terra
Poeira cósmica milenar
Que em nossas almas reverbera

Abrigam estrelas minhas:
Quasares quentes e distantes,
Nosso Sol e tantas mil.
Tecem teias infinitas de amizade
                  [que invadem a Terra com seu bril

Estrelas agitadas em seu plano
Não desçam de seu lar
A escuridão não vai nos separar

Digo: "essa energia atemporal é infinita
Que une gente e brilho
Não é gravidade, é mais do que isso..."

H.B.

Over The Rainbow - Um Conto de Fadxs, a Resenha.

Os contos de fadas atravessaram gerações e, por muitas vezes, novas versões surgiram com diferentes temáticas. Não é exceção para o Over The Rainbow que recria cinco contos de fadas: Cinderela, João e Maria, Rapunzel, A Bela e a Fera e Branca de Neve.      Recontados no período contemporâneo e abordando assuntos como homofobia, transsexualidade e a descoberta da sexualidade. Os contos são importantíssimos para a literatura em geral, abordando assuntos quase invisíveis e marginalizados, mas importantes para que leitores LGBTQ possam ter onde se espelhar e se inspirar. E graças a Editora Planeta, o Over The Rainbow oferece isso.      Escrito pelos youtubers Lorelay Fox, Maicon Santini, Renato Plotegher e Eduardo Bressanim e pela escritora Milly Lacombe.

    Lançado em 2015, abrange cinco contos: 
•Mais do que manteiga com mel (Cinderela) - Milly Lacombe. •O amargo da intolerância  (João e Maria) -  Renato Plotegher. •Atormentado (A Bela e a Fera) - Eduardo Bressanim. •O Loirinho do…

4 elementos

Água corrente dos rios e oceanos
Fogo quente e recriador das massas
Terra forte e impetuosa dos continentes
Ar fluido e limpo dos céus transparentes Chuva fina que cai sobre a pele
Faisca que acende a chama da paixão
Rocha que sustenta toda uma dinastia
Brisa que refresca e emana vidaTempestade que limpa
Vulcão que incinera
Terremoto que derruba
Furacão que dilaceraSangue quente que me transborda
Temperatura que sobe ao ver gente
Ossos cicatrizados cheios de histórias
Respiração que limpa minha menteH.B

Resenha de A Insustentável Leveza do Ser (SPOILER!)

Quando o mundo estava vivendo uma crescente tensão política entre Estados Unidos e URSS, era muito comum que as obras deste período tivessem o contexto histórico muito presente, como segundo plano ou como tema principal. E é dentro dessas características que surgiu o romance, que mais tarde foi adaptado para o cinema, A Insustentável Leveza do Ser (1984) de Milan Kundera. (1929 - atualmente). Nascido em Brno, Tchecoslováquia, Kundera criou quatro grandes personagens para este romance. A história se passa na capital da República Checa, Praga, na época em que a Russia a invadiu. Parte da história se passa em Praga e a outra parte em Zurique. Tereza e Tomas formam o casal principal da história, Franz e Sabina formam o segundo, sendo Sabina a amante de Tomas. Todos eles vivem desilusões e grandes tristezas durante o decorrer da história. A Insustentável Leveza do Ser é repleto de questões políticas, de questionamentos filosóficos, análises psicológicas e momentos históricos. 
"…